Reunião de Comissões discute a regularização de CEPs e logradouros em Caruaru

por Gabriela Mendes — publicado 14/02/2020 13h30, última modificação 14/02/2020 13h32
Representantes da Secretaria da Fazenda do departamento de Cadastro imobiliário, Correios e DESTRA também fizeram parte da discussão.
Reunião de Comissões discute a regularização de CEPs e logradouros em Caruaru

Foto: Gabriela Mendes

A reunião de Comissões desta sexta-feira (14) realizou um debate sobre a regularização de denominação e sinalização de logradouros e CEPs no Município. Estiveram presentes os vereadores Pb. Andrey Gouveia (PATRI), Daniel Lula Finizola (PT) e Pierson Leite (PSD), membros da Comissão de Legislação e Redação de Leis (CLRL). Representantes da Secretaria da Fazenda do departamento de Cadastro imobiliário, Correios e DESTRA também fizeram parte da discussão.

O problema debatido gira em torno de três principais fatores: dificuldade que muitos cidadãos encontram por não receber as correspondências em casa, já que os Correios necessitam do nome das ruas para chegar até as residências; a falta de CEP e também de sinalização.

Segundo o vereador Pierson Leite, existe a Portaria 567 do Ministério das Comunicações (MC) que diz que toda localidade para receber os serviços de postagens precisa ter placa, CEP e uma numeração continua, ordenada e única, porém muitas localidades de Caruaru não cumprem com essas exigências. "Aqui na nossa cidade existem vários bairros que chegam a ter duas e até três ruas com o mesmo nome. Também ruas com cinco, seis residências com a mesma numeração, impossibilitando assim a população de receber suas correspondências."

Para Thiago Alves, diretor do cadastro Imobiliário da Secretaria da Fazenda, a presença da equipe na reunião é de extrema importância para a correção dos erros. "Eu acredito que é uma excelente iniciativa e que até o final do primeiro semestre a gente vai tentar resolver todos os problemas com relação a duplicidade de logradouro, de informação de nome de rua, etc."

O Pb. Andrey Gouveia, presidente da CLRL, considera que esse primeiro encontro em conjunto com os representantes dos órgãos pertinentes, é o ponta pé inicial para a resolução dos problemas. "A gente iniciou uma força tarefa, apresentamos várias demandas, ouvimos as dificuldades dos diversos órgãos que estiveram aqui e daqui a 30 dias já vamos ter alguma resposta." 

Outros cinco projetos também foram analisados pelas comissões e seguem para discussão no plenário.

 

 

 

registrado em: ,