Jajá critica falta de atenção com projetos dele

por Victor Vargas — publicado 20/11/2013 23h00, última modificação 08/11/2018 13h42
Durante a reunião realizada na última terça-feira (19), na Câmara Municipal de Caruaru, o vereador...

Durante a reunião realizada na última terça-feira (19), na Câmara Municipal de Caruaru, o vereador Jajá (PPS) alertou para a falta de atenção que tem sido dada pela Prefeitura de Caruaru aos projetos de sua autoria.

Irritado, ele utilizou como exemplo os problemas registrados na Rua São Carlos, no Bairro Petrópolis, onde, segundo ele, uma obra compromete o tráfego de veículos na via há pelo menos três meses. “Estão sendo causados transtornos para a população, e também para os comerciantes. A proprietária de um posto de combustível próximo está acumulando prejuízos, e já não sabe a quem recorrer”, destacou o parlamentar, que disse ainda que encaminhou um requerimento, solicitando a aceleração das obras à Prefeitura de Caruaru, e que pouca atenção teria sido dada.

“Isso acontece por que foi o vereador Jajá quem pediu? Quer dizer que eu teria de apoiar o prefeito para ser enxergado? Mereço respeito! Sou vereador como qualquer outro aqui, que merece atenção da prefeitura, porque o meu trabalho é para beneficiar o povo. Essa é uma postura vergonhosa para o Poder Executivo. Todos aqui apresentam projetos que merecem atenção, e não sou uma exceção”, protestou, complementando, logo em seguida: “Venho cobrando mudanças em vários setores, e percebendo que pouco é feito. Como se, por ser da oposição, meus projetos não merecessem atenção”. E foi além ao afirmar que “se não fosse essa pequena oposição, muitos projetos não teriam sido encaminhados pela prefeitura. Um bom exemplo disso é o aterro sanitário. Depois que denunciamos, os problemas foram corrigidos”, analisou.

E esta não é a primeira vez que o parlamentar utiliza a tribuna da Câmara para destacar a falta de atenção do Executivo. A crítica tem sido recorrente e o parlamentar alerta para a necessidade do Governo Municipal tratar os projetos enviados pela Câmara com igualdade, independente da autoria ser de um parlamentar da base governista ou de um oposicionista.

Em outubro, por exemplo, Jajá chamou a atenção para o fato do prefeito José Queiroz (PDT) ter perdido o prazo para sancionar o Projeto de Lei nº 6.541/2013, que cria o Dia Municipal de Luta pela Educação. O chefe do Executivo teve 30 dias para analisar a proposta, e mesmo assim não o fez, o que deixou irritado o autor do PL, que criticou a forma como a proposta foi tratada. “Desde o começo deixei bem clara qual era a minha intenção: a de termos um dia dedicado exclusivamente para que possamos pensar melhorias para a educação municipal. Para realizar ações, debates, ouvir a comunidade e os estudantes. Para melhorar o ensino e a qualidade da educação oferecida nas nossas escolas. Mas, parece que entenderam o projeto como uma provocação, e decidiram deixá-lo de lado propositalmente”, argumenta Jajá.

Após o fim do prazo para que o prefeito pudesse analisá-lo, o PL foi devolvido à Câmara e, na opinião de Jajá, só não caiu no esquecimento porque foi promulgado pelo presidente Leonardo Chaves (PSD).

Diogenes Barbosa/AI vereador Jajá

registrado em: