Vereadores visitam propriedade vizinha ao aterro sanitário

por Victor Vargas — publicado 01/11/2013 00h00, última modificação 24/02/2017 10h02
Na manhã desta quinta-feira (31), os vereadores Jajá (PPS) e Val (DEM) estiveram em uma...

Na manhã desta quinta-feira (31), os vereadores Jajá (PPS) e Val (DEM) estiveram em uma propriedade que fica bem ao lado do aterro sanitário de Caruaru. O intuito foi verificar uma denúncia feita pelo dono do terreno, que aponta inúmeras irregularidades na manipulação do lixo, que estariam prejudicando as atividades na área dele.

O proprietário do terreno é o funcionário público Erivaldo Vasconcelos, de 42 anos, que considera a situação “absurda”. “O lixo, que deveria estar recebendo um tratamento adequado, está invadindo a minha propriedade. Também estou tendo problemas com a ‘desova’ de materiais diversos e a entrada de pessoas não autorizadas”, detalha.

Durante a passagem dos parlamentares pela propriedade de Erivaldo foram encontradas bolsas de lixo, pneus e materiais dos mais diversos, inclusive lixo hospitalar e animais mortos. Há indícios de que catadores estão aproveitando a proximidade do terreno com o depósito de lixo para separar os materiais que serão aproveitados, e descartando os demais no local.

Na parte de trás da propriedade, a cerca foi danificada pela montanha de materiais como sobras da indústria têxtil, fezes de gado e pneus. “Acredito que esse material não poderia estar aqui. Já não posso mais deixar os meus animais soltos no meu terreno, com medo que eles possam comer bolsas plásticas ou algum material tóxico”, informa Erivaldo Vasconcelos, chamando a atenção para a gravidade do caso.

O professor João Domingos é mestre em Gestão de Políticas Ambientais e acompanhou a visita junto com a equipe de reportagem da TV Jornal Caruaru. Ele aponta o que deveria estar sendo feito com todo o material: “Os resíduos trazidos para o aterro sanitário de Caruaru deveriam ser cobertos diariamente. No local, a gente percebe o acúmulo de material praticamente dentro de uma propriedade particular, o que também é algo grave”, destaca. 

Ele alerta para a gravidade da forma como está sendo tratado o chorume (líquido poluente originado da decomposição do lixo). “Trata-se de um material altamente contaminante, que está escorrendo livremente das montanhas de lixo. É preciso que haja aqui uma intervenção imediata das autoridades, para que milhares de pessoas não sejam prejudicadas”, analisa. João Domingos arrisca afirmar, inclusive, que, diante de tantos problemas, já é possível pensar em uma recategorização do terreno para onde é destinada boa parte dos resíduos recolhidos em Caruaru. “Porque o equipamento se aproxima bem mais de um lixão que de um aterro sanitário”, complementa.

Os vereadores Jajá e Val apresentaram os registros feitos na manhã desta quinta-feira durante a reunião realizada à noite, na Câmara Municipal de Caruaru. Posteriormente, os registros serão cedidos à Justiça, devido à gravidade do caso. “É um equipamento que fica muito próximo à zona urbana. Nas proximidades, estão centros de compras, condomínios e até loteamentos. O trabalho [manipulação do lixo] precisa ser feito corretamente, para não prejudicar ninguém”, alerta Jajá.

Já o vereador Val, líder da bancada de oposição da Câmara Municipal, prefere chamar a atenção para o gerenciamento do equipamento. “A prefeitura precisa repensar a forma como está utilizando o equipamento, porque há problemas visíveis que não podem ser ignorados”, aponta.

ENTENDA O CONTEXTO

Durante a sessão da última terça-feira (29) os dois parlamentares já haviam apresentado na Casa Jornalista José Carlos Florêncio um vídeo mostrando problemas no aterro sanitário de Caruaru. E chamaram a atenção para uma série de leis ambientais que estariam sendo desrespeitadas no local.

 IMAGENS

As imagens feitas durante a visita estão sendo disponibilizadas na página oficial do vereador Jajá no Facebook. O endereço é: www.facebook.com/vereadorjaja

Diogenes Barbosa/AI vereador Jajá

registrado em:
Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.