Comissão se reúne para ouvir Louro do Juá

por Victor Vargas — publicado 24/04/2014 00h00, última modificação 14/03/2017 11h47
Depois dos vereadores Sivaldo Oliveira (PP) e Cecílio Pedro (PTB), a Comissão de Ética e Decoro...

Depois dos vereadores Sivaldo Oliveira (PP) e Cecílio Pedro (PTB), a Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Municipal de Caruaru se reuniu, na manhã desta quinta-feira (24), para ouvir o vereador Louro do Juá (SDD). Louro foi um dos dez vereadores afastados pela Justiça, em dezembro, por causa da Operação Ponto Final.

Acompanhado dos advogados Marcelo e Marcílio Cumaru e Saulo Amazonas, Louro do Juá, que retornou ao cargo junto com Eduardo Cantarelli (SDD), Sivaldo Oliveira, Cecílio Pedro e Jajá (sem partido) na última terça-feira (22), protestou inocência e disse que seu afastamento – e dos outros vereadores – foi fruto de uma manobra política por parte do Executivo. “Foi um crime e uma armação devido a uma CGU que roubava da Casa e que, no dia 19, nós íamos trabalhar contra ela de mangas arregaçadas, foi aí que o medo apareceu. E é justamente quando nós aqui, nessa Casa, enfrentamos o requerimento constitucionalmente com a assinatura de oito vereadores, houve uma preocupação por parte do Executivo e quiseram interferir em cima da nossa fiscalização”, acusou o parlamentar.

O relator da Comissão de Ética, vereador Marcelo Gomes (PSB), disse que o cronograma dos trabalhos está ocorrendo dentro do prazo idealizado. “Com o decorrer de cada ouvida, as coisas vão caminhando mais rápido, até porque há o entendimento da bancada de advogados e da Comissão e a gente vai encaminhando com um prazo menor do que foi a primeira ouvida”.

O próximo a prestar seu depoimento será o vereador Neto, do PMN. A ouvida está marcada para esta sexta-feira (25), às 9h.

A Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Municipal de Caruaru é presidida pelo vereador Ricardo Liberato (PSC) e formada pelos vereadores Marcelo Gomes, Rozael do Divinópolis (do PROS, eleito secretário), Demóstenes Veras (PROS) e José Ailton (PDT). Ela foi instaurada no dia 14 de fevereiro, seguindo recomendação do Ministério Público, para analisar se houve quebra de decoro dos vereadores Louro do Juá (SDD), Eduardo Cantarelli (SDD), Sivaldo Oliveira (PP), Cecílio Pedro (PTB), Jajá (sem partido), Jadiel Nascimento (PROS), Val das Rendeiras (PROS), Neto (PMN), Evandro Silva (PMDB) e Val de Cachoeira Seca, investigados pela Operação Ponto Final da Polícia Civil.

Guanabara Comunicação/AscomCâmara

registrado em:
Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.