Câmara debate mortalidade de jovens negros em audiência pública

por Victor Vargas — publicado 08/06/2016 00h00, última modificação 08/03/2017 10h15
Na próxima quinta-feira (16), às 9h da manhã, a Casa Jornalista José Carlos Florêncio realizará uma audiência...

Na próxima quinta-feira (16), às 9h da manhã, a Casa Jornalista José Carlos Florêncio realizará uma audiência pública para debater o extermínio da juventude negra em Caruaru. Solicitada pelo vereador Carlos Santos (PRB), através do Requerimento nº 1207/2016 (aprovado na reunião do último dia 02), a audiência pretende abordar uma situação desconfortável para as propaladas políticas públicas de inclusão social e de proteção aos direitos humanos: o alto índice de jovens negros assassinados em comparação com as mortes de jovens ditos caucasianos. “Nós solicitamos essa audiência pública para debater o que chamamos de ‘extermínio’ da juventude negra. São índices que têm aumentado ano após ano. A chance de um jovem negro em Pernambuco ser assassinado é 11,5 vezes maior do que o mesmo acontecer com um jovem branco. Precisamos combater isso”, comentou o autor da propositura, referindo-se a dados divulgados através do estudo “Índice de vulnerabilidade juvenil à violência e desigualdade racial”, encomendado pela Unesco e divulgado no Fórum Brasileiro de Segurança Pública realizado em 2014.

Entre as entidades convidadas está a Frente Parlamentar de Combate ao Extermínio da Juventude Negra no Estado de Pernambuco, criada em junho do ano passado com o objetivo de “reunir parlamentares no combate ao preconceito, à discriminação e à violência para aprofundar as políticas de combate ao extermínio da juventude no estado”, segundo o coordenador da entidade, deputado Ossésio Silva (PRB).  “A violência tem cor e não podemos mais conviver com os indicadores que nos envergonham. Nós queremos de fato que as câmaras municipais possam colaborar nessa luta”, afirmou ainda o parlamentar, uma das presenças confirmadas para a reunião.

As propostas resolutivas geradas pela audiência, segundo o vereador Carlos Santos, deverão compor um documento que será encaminhado para os setores e as autoridades competentes. “Mas fiquem certos de que nós vamos buscar uma solução para esse problema, junto com a população de Caruaru. Vamos cobrar das autoridades responsáveis uma resposta para essa situação”, assegurou o vereador.

Guanabara Comunicação/AscomCâmara
Foto: Vladimir Barreto/AscomCâmara
registrado em:
Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.