Audiência Pública debate mototáxi

por Victor Vargas — publicado 02/05/2013 00h00, última modificação 14/03/2017 12h49
Atendendo convocação do presidente do Poder Legislativo, vereador Leonardo Chaves, a Câmara ...

Atendendo convocação do presidente do Poder Legislativo, vereador Leonardo Chaves, a Câmara Municipal de Caruaru realizou, na manhã desta quinta (02), Audiência Pública para debater e encaminhar soluções para os cerca de 2.600 mototaxistas que trabalham na cidade. Compuseram a Mesa Dirigente dos trabalhos os vereadores – presidente Leonardo Chaves (PSD), Edjailson da Caru Forró (PTdoB), Val das Rendeiras (PRTB) e Cecílio Pedro (PTB), além do diretor-presidente da Autarquia Municipal de Defesa Social, Trânsito e Transporte – DESTRA, Cel. José Carlos da Silva. Participaram ainda os vereadores Gilberto de Dora (PSB), Heleno do Inocoop (PRTB), Ricardo Liberato (PSC), Louro do Juá (DEM), José Ailton (PDT), Romildo Oscar (PTN), Pastor Jadiel (PRTB), Marcelo Gomes (PSB), Jajá (PPS) e Joseval Val (DEM).

O presidente Leonardo Chaves abriu os trabalhos falando das competências ligadas aos mototaxistas e das regras básicas funcionais da Audiência Pública. O primeiro a ocupar a tribuna da “Casa do Povo” foi o presidente da Coopermoto – Marcos Bento, posteriomente seguido por Gabriel Pereira – presidente da Associação dos Mototaxistas, André Salgado – presidente da Associação do Transporte Alternativo de Caruaru (ATAC) e o vice-presidente do Sindmoto – Ivo dos Santos. Os representantes dos mototaxistas enfatizaram as questões ligadas à implantação de motocímetro, abrigos de parada dos mototaxistas, fiscalização das motos clandestinas, representação da categoria no Conselho Municipal de Transportes, piloto reserva, isenção do alvará e demarcação dos pontos da periferia da cidade. As galerias da “Casa do Povo” ficaram repletas de mototaxistas e representantes da sociedade organizada de Caruaru. “Agradecemos a oportunidade e a sensibilidade do presidente da Câmara, vereador Leonardo Chaves, e seus pares pela oportunidade que estamos tendo de apresentar e encaminhar os nossos principais problemas – o mototáxi gera hoje 2.600 empregos em Caruaru e temos a necessidade de sermos ouvidos”, frisou o presidente da ATAC, André Salgado.

Os vereadores se manifestaram solidariamente à categoria – apresentaram ideias e soluções – “Vamos ao governador Eduardo Campos pedir a liberação do ICMS para a compra das motos”, destacou o vice-líder do governo, vereador Ricardo Liberato (PSC). Gilberto de Dora (PSB) falou do seu requerimento que pede a construção de abrigos em todos os pontos de mototáxi e a modificações na Lei nº 5.120, que permite o cadastro de piloto reserva e isenta o pagamento da taxa de alvará de serviço. Romildo Oscar (PTN) falou do complemento da carga horária do curso de pilotagem; o Pastor Jadiel (PRTB) – que tem irmão mototaxista, falou do transporte de crianças – lembrou a permissão a partir dos sete anos; Louro do Juá (DEM) enfatizou a importância social da categoria; Val das Rendeiras (PRTB) e Edjailson da Caru Forró (PTdoB) focaram a necessidade do motocímento para um relacionamento justo entre os passageiros e os mototaxistas.

Fechando a Audiência Pública, o diretor-presidente da DESTRA, cel. José Carlos da Silva respondeu a todos os anseios da categoria: o motocímetro está sendo providenciado – de acordo com a Portaria 393 do Inmetro – para atender a todos de uma forma legal e dentro da realidade financeira da categoria; a DESTRA, a partir de hoje, não toma decisão sem ouvir os mototaxistas; os clandestinos estão sendo combatidos em blitzes – apesar da dificuldade de pessoal na autarquia – que começou com 80 agentes e hoje diminuiu para 60; e a campanha educativa que está sendo produzida direcionada a todos os motociclistas. “Vamos estreitar o relacionamento com os mototaxistas”, frisou o diretor-presidente da DESTRA.

O presidente Leonardo Chaves fechou a Audiência Pública reafirmando o apoio da “Casa do Povo” à causa dos mototaxistas e a formação da comissão de vereadores, que será composta na próxima semana para encaminhar – dentre outros pleitos – a isenção do ICMS junto ao Governo do Estado.

AscomCâmara

registrado em:
Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.